1909

No Brasil

30 de outubro; 9 e 30 de novembro. Estreia brasileira do pianista polonês e naturalizado norte-americano Mieczyslaw (Miécio) Horszowskí, em três recitais compartilhados com o pianista português Arthur Napoleão, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Novembro. Guiomar Novaes é admitida no Conservatório de Paris aos 15 anos, ficando em primeiro lugar entre os 331 candidatos, para as 12 vagas oferecidas, depois de tocar para um júri formado por Gabriel Fauré (então diretor do conservatório), Claude Debussy, Moritz Moszkowski, Charles-Marie Widor e Lazare-Lévy. Guiomar interpretou nas provas o Prelúdio e Fuga No.3 em Dó# maior (Livro I do Cravo Bem Temperado), de Bach, o Estudo No.4, em Mi maior, de Paganini-Liszt, a Balada No.3 Op.47 de Chopin, e parte do Carnaval de Schumann. No segundo exame, quebrando o protocolo dos concursos do Conservatório, devido ao fascínio que a jovem Guiomar lhe provocara, Debussy pediu que Guiomar repetisse a execução da 3ª Balada de Chopin. Em carta ao compositor André Caplet, datada de 25/11/1909, Debussy escreveu: “Eu estava voltado para o aperfeiçoamento da raça pianística na França... : a ironia habitual do destino quis que o candidato artisticamente mais dotado fosse uma jovem brasileira de treze anos. Ela não é bela, mas tem os olhos 'ébrios da música' e aquele poder de isolar-se de tudo que a cerca - faculdade raríssima-, que é a marca bem característica do artista”.

No mundo