Cartas de Guiomar Novaes (Parte 1)

No início deste ano, o IPB teve a honra de receber de Nelson Freire uma série extraordinária de documentos: fotocópias de 75 cartas que Guiomar Novaes enviou a seu ex-professor Luigi Chiaffarelli entre 1910 e 1921, cobrindo os primeiros anos da carreira internacional de uma das maiores pianistas brasileiras. Nas primeiras cartas Guiomar ainda era aluna do Conservatório de Paris e conta detalhes preciosos sobre a vida cultural da cidade. Nas últimas, já era uma pianista internacionalmente reconhecida. As cartas são enviadas das mais diversas cidades nos EUA, Canadá, Barbados, Brasil, Cuba, Itália, França, Áustria, Suíça, Inglaterra, e até a bordo de navios. 

Estas cartas foram copiadas pela pesquisadora Maria Francisca Paez Junqueira, já falecida, que defendeu seu doutorado em 1982 intitulado "Escola de Música de Luigi Chiaffarelli". Em 1993, ela enviou uma cópia de todas para Nelson Freire, e hoje são a única fonte conhecida destes documentos, pois não se sabe onde estão os originais, e as fotocópias não haviam sido divulgadas até então. Portanto o que estamos apresentando hoje trata-se de uma grande novidade para a pesquisa pianística brasileira. 

Neste post e no próximo, apresentamos a transcrição das 20 primeiras cartas e cartões, em ordem cronológica, com a grafia atualizada, bem como as fotocópias para download em pdf, que foram utilizadas para as transcrições. Intervenções editoriais foram colocadas entre colchetes, e pontos de dúvida foram marcados com uma interrogação após a palavra entre colchetes. As transcrições foram realizadas por André Pédico especialmente para o IPB, com revisão de Alexandre Dias.

Nossos profundos agradecimentos a Nelson Freire por confiar estes preciosos documentos ao IPB para que os trouxéssemos a público.

No próximo mês divulgaremos mais um lote das transcrições.

--

Alexandre Dias

[acesse aqui a parte 2]

Apoie o IPB tornando-se um assinante e invista na cultura brasileira! https://www.catarse.me/institutopianobrasileiro

 

Correspondência 1 [PDF]

"Paris, 07 de janeiro de 1910.

Meu querido Sr. Chiaffarelli.

Que surpresa causou-me a viagem de D. Guilhermina e Liddy! Fiquei muito contente e ao mesmo tempo triste em saber que D. Guilhermina não passa bem de saúde, mas desejo que fique logo reestabelecida.

Estou ansiosa [para] vê-las e só sinto muito o Sr. não ter vindo; tenho tantas saudades suas, das lições, ... gosto de Paris mas ficaria mais satisfeita se o Sr. estivesse aqui!... Assim seria um paraíso aberto!

Já recebi um cartãozinho de Liddy, que escreveu-me de Torino, fiquei muito satisfeita.

Envio-lhe o programa do concerto que assisti ontem desse pianista. Ah!... como gostei, fiquei entusiasmada, se o Sr. estivesse aqui gostaria extraordinariamente, tocou duas vezes extra programa, só pensava: se Sr. Chiaffarelli estivesse aqui!

Ouvi também outro dia um grande pianista, de nome Wurmser, gostei bastante; no dia 22 de dezembro o Sr. Philipp deu uma aula na Sala Gaveau, em que tomaram parte suas discípulas do Conservatório, estava muito bonita, o compositor Moszkowski tomou parte; toquei o Estudo, a Berceuse e Balada de Chopin, toquei direitinho, fui a mais aplaudida, tive que voltar três vezes para agradecer; aqui gostam muito da sua escola e desejam lhe conhecer. Estive em casa de Casals com D. Alda, e quando leu sua carta parecia estar satisfeito, perguntou pelo Sr. e sua família.

D. Alda conheceu uma professora de piano aqui, de nome Mme. Jullien, tem uma filha que ensina também e é uma grande pianista, foi discípula de Bauer durante dez anos; ofereceu para me ensinar solfejo e deu-me um Concerto de Schumann em lá menor, é lindo! ... estou estudando, vou uma vez por semana à sua casa, engraçado é que não ouve nada, mas os sons distingue perfeitamente, tocando-se uma nota no piano ouve logo, mas para se falar é preciso gritar, sua mãe também é surda; no dia de Natal deu-me um pequeno broche de brilhantes com uma pérola no meio, é muito bonitinho.

Sr. Chiaffarelli, peço-lhe a bondade de mandar-me dizer por quem é o arranjo da 12ª Rapsódia de Liszt a dois pianos, o Sr. Philipp procurou aqui e não a encontrou, disse-me que não conhece esse arranjo e deseja saber qual o autor; estou estudando no Conservatório, as Fugas de Bach, uns pedaços de Mendelssohn, uma sonata de Weber e estudos de Chopin; já aprendi uma Sonata de Schubert, dois estudos de Chopin e um Presto de Mendelssohn; o Sr. Philipp é bom mas não como Sr., é muito diferente o modo de ensinar; todas as pessoas que perguntam com quem aprendo dizem: é pena estar com o Philipp. Mme. Chaumont ensina muito bem, não quer me tomar nada.

Escrevo todas as semanas à mamãe, ah como tenho saudades dela! D. Alda é muito boa para mim, quero-a muito bem.

Peço-lhe dar muitas saudades à D. Antonietta Rudge, D. Maria [Laul?] e todas as moças da aula.

Venha logo Sr. Chiaffarelli, que estou com muitas saudades.

Um abraço da discípula e amiguinha que muito lhe estima,

Guiomar."   

 

Correspondência 2 [PDF]

"Paris, 27 de maio de 1910

Meu querido Sr. Chiaffarelli!

Meu desejo é que esta o encontre com saúde, esperando ter breve notícias suas, pois há tanto tempo que não tenho esse grande prazer!

Muito agradeço Sr. Chiaffarelli, por ter escrito ao Sr. Philipp que estou sob a proteção de S. Cecília, pois deu-me há pouco uma linda imagem dessa Santa, fiquei contente!

Muito obrigada! Sr. Philipp é muito bom para mim, sempre pergunta pelos meus estudos, ensina muito bem, sempre quando há um bom concerto manda avisar à D. Alda para eu ouvir, é muito bom; sempre fala na sua pessoa, parece lhe querer muito!

Mais uma vez agradeço de todo o coração ao meu bondoso Sr. Chiaffarelli o que tem feito por mim! Como hei de agradecer? Não tenho nada para lhe dar! Só peço a Deus que o recompense de tanta bondade, tanta!

Sr. Chiaffarelli, só agora que estive com Bauer; estive em sua casa essa semana; primeiro digo-lhe que assisti o seu segundo concerto, o qual envio-lhe o programa; fiquei encantada! Tudo achei que tocou admiravelmente bem, principalmente essas três músicas de Brahms, foi uma joia! Com que graça e delicadeza ele toca! Quando estive em sua casa toquei a 3ª. Balada de Chopin e Au Soir de Schumann; parece que gostou ou não, não sei! Achou que eu interpretava bem a Balada, mas disse que não dava a mesma, que é muito natural, porque cada um tem o seu modo de interpretar; quando eu toquei Au Soir, fez-me parar no meio e deixar somente o pedal, depois perguntou-me se aquela sonoridade que fazia era de propósito ou natural? Eu respondi-lhe que não tinha pensado nisso, então explicou-me que tudo quanto eu tocar deve ser de propósito, pensar como devo tocar, com o meu gosto, e muitos conselhos! Disse-me também para não estudar muitas horas por dia, 4 ou 5 não, que devo estudar 3 e pensar muito o que devo fazer; não vale fazer muito exercício. Desejaria muito que o Sr. me explicasse tudo isso Sr. Chiaffarelli, sim? Falam tanto em pensar muito, o que é? Peço-lhe desculpas por não poder continuar, o que farei para a semana.

Saudades e um abraço da sincera Guiomar."

 

Correspondência 3 [PDF]

"Paris, 24 de junho de 1910.

Meu querido Sr. Chiaffarelli!

Como fiquei contente em receber sua cartinha a semana atrasada! Agradeço-lhe muito!

Tenho o prazer de contar-lhe que assisti a grande música de Haendel, “O Messias”, nunca assisti uma coisa tão bonita! Eram 450 executantes, que orquestra e que coros! E o órgão? Que beleza!

Foi a sociedade Haendel que deu essa audição, com o concurso da Escola Cantorum de Paris, foi no Palácio do Trocadero, lembrei-me tanto do senhor!

Ouvi também Caruso no Trocadero num grande concerto que houve, que voz! .... E que fôlego! Que força e que bonito!...

Magdalena Tagliaferro deu dois concertos ultimamente, no primeiro tocou só músicas de Chopin e no segundo Schumann, fui no primeiro, gostei imensamente! Mas o segundo não pude ir, o que muito senti.

No dia 10 de junho fiz exame no Conservatório, tocando a primeira parte da Sonata Op. 31 de Beethoven; agora estamos perto das férias que são em julho; o concurso de piano no Conservatório é no dia 8 de julho, a música é Tema e Variações Op. 73 de Fauré; mas como o senhor sabe não posso concorrer este ano.

Agora estou estudando a Barcarola de Chopin, como é linda, não?

Gostei muito do programa que o senhor teve a bondade de enviar-me.

 Ah! ... estou estudando também Variations sérieuses de Mendelssohn.

Mlle. Jullien deu também ultimamente um concerto com seu irmão, Sr. René Jullien, violoncelista, é um grande artista! Mlle. Jullien é grande pianista também!

Fiquei contente em saber que Lucilla de Mello estava estudando as variações em dó menor de Beethoven, como são lindas, não? Gilda tem feito muitos progressos, Sr. Chiaffarelli?

O senhor já deu muitas aulas este ano? Tenho tantas saudades das suas lições! São demais as saudades que tenho do meu querido professor e dos meus! Gosto muito do colégio em que estou, as professoras e meninas são boas! Queira aceitar mil saudades e um abraço de sua [Guiomar]."

 

Correspondência 4 [PDF]

"Paris, 15 de julho de 1910

Meu querido Sr. Chiaffarelli!

Recebi sua carta que muito agradeço as explicações, pensei que fosse mais complicado o que disse o Bauer, pois tudo aquilo o Sr. já me ensinou tanto! Fiquei contente, muito obrigada!

Já estou de férias do conservatório; a semana passada foi o Concurso, a classe do Sr. Philipp que venceu este ano; sua discípula Madeleine Fourgeaud que tocou melhor, mas como tocou bem! Como lhe escrevi, a música do Concurso foi Tema e Variações op. 73 de G. Fauré, é linda a música, e em cada variação caprichava tanto, ... tem uma técnica admirável, tirou lindos sons, muita variedade e uma expressão! É já uma grande artista, toca muito bem, mas às vezes não muito bem, isto que sempre reparava na classe quando tocava, às vezes tocava tão bem, tinha-se um prazer em ouvi-la, mas outras vezes, errava tudo, uma coisa esquisita! No dia do Concurso tocou muito bem não é? No dia da distribuição dos prêmios teve que tocar a mesma música, nem tinha comparação com o dia do Concurso! Nem parecia a mesma pessoa, estava cacete a música, sem som, sem entusiasmo, ... que coisa!

É também discípula de Mme. Chaumont; é muito boa pessoa, alegre, anda sempre contente, não para um instante! Outra sua discípula também tirou o primeiro prêmio, Emma Baynet, toca também muito bem, mas é muito diferente de Mlle. Fourgeaud, mas as duas tocam muito bem!

Sr. Chiaffarelli, Sr. Philipp me disse que não tinha lhe mandado um programa de sua audição de maio, mas não quero que o Sr. pense que foi por esquecimento, não, bem me lembrei mas não me foi possível, pois os programas são ao mesmo tempo convites e eu não tive um só! Mas pedi à Mme. Chaumont que ficou de me arranjar, logo que tiver lhe enviarei!

Ainda não ouvi o Sr. Philipp tocar, pedi-lhe domingo quando estava em casa de Mme. Chaumont, disse que não sabia, ... aqui ninguém toca uns para os outros, só em concerto, pedi uma vez também a uma discípula de Mme. Chaumont que dizem tocar muito bem, também não tocou, é uma romaica [romena], chama-se Mlle. Delavrancea, é também discípula de Sr. Phillip. O Sr. Raul Pugno também ainda não ouvi.

Sr. Chiaffarelli, o Miecio Horszowski é um dos pianistas que mais têm me entusiasmado, e como já lhe escrevi há tempos, gostei tanto de ouvir Mark Hambourg e Galston aqui, e agora que li que esses três grandes artistas foram discípulos do grande professor Leschetizky em Viena, que coisa engraçada não? E para o Sr. ver os gostos, uma vez estando com Magdalena Tagliaferro, perguntei-lhe o que achava de Miecio, não mostrou grande entusiasmo pelo seu talento, que coisa esquisita, não?

Já toquei algumas vezes com o irmão de Mlle. Jullien, violoncelista, mas agora não está em Paris, foram passar as férias em Chamonix, eu também vou com D. Alda passar uns tempos em Argelès, Hautes des Pyrénées. Recebi em cartão postal o retrato de Liddy e D. Guilhermina, como estão bem não?

No dia 20 é a distribuição dos prêmios do Colégio em que estou, as meninas estão se preparando para a festa.

Com muitas saudades envia um abraço a sincera Guiomar."

 

Correspondência 5 [PDF]

"Argelès[-Gazost, França], 12 de agosto de 1910

Envio-lhe a fotografia do lugar em que estou! Domingo assisti uma matinée ao ar livre no meio de uma montanha, estava tão original! Mil saudades e um abraço de Guiomar"

 

Correspondência 6 [PDF

"Paris, 15 de setembro de 1910.

Meu querido Sr. Chiaffarelli,

Meu desejo é que esta vá o encontrar com muita saúde. Há tanto tempo que não recebo notícias suas. Há poucos dias recebi uma cartinha de Liddy e sei que parte logo para o Brasil, que bom não?

As saudades que tenho suas são inúmeras! E dos meus! Recebo sempre, semanalmente, notícias de mamãe e de todos de casa, fico tão contente! Chegamos dos Pireneus há cinco dias, estranhei tanto Paris! Pois já estava um pouco caipira, no meio das montanhas só ouvia barulho d´água, tão calmo, ... e aqui um barulhão!... Gostei tanto das montanhas, como é grandioso os Pireneus! Já estive com Sr. Phillip e Mme. Chaumont, logo terei a primeira lição; esta última esteve na Inglaterra e depois no campo, e Sr. Philipp esteve em Strasbourg e também na Inglaterra. Este ano não vou mais para o colégio, por enquanto D. Alda fica na R. Mozart. Soube que o diretor do Conservatório do Rio de Janeiro está em Paris e vai dar alguns concertos das músicas brasileiras, creio que será depois de amanhã, vou ver se assisto, tenho muita vontade!

Sr. Chiaffarelli, o sr. escreveu-me para tocar as músicas brasileiras que sei aqui, tive ocasião de tocar Il Neige [de Henrique Oswald] à Mme. Chaumont, achou: charmant! ... E as outras tocarei logo, mas a Valsa Lenta de Oswald, não tenho a música, sei só de ouvido!

O Sr. tem dado muitas aulas? As moças de quinta-feira como vão? Envio-lhes muitas saudades!

Paris está feio, escuro, já começa a esfriar. Envio-lhe uma lembrancinha de Lourdes.

As aulas do Conservatório abrir-se-ão no dia 3 de outubro, que pena eu não ter feito o Concurso no ano passado não?

D. Alda envia-lhe muitas lembranças.

Um saudoso abraço e saudades e muitas saudades de quem muito o estima

A sempre grata Guiomar"

 

Correspondência 7 [PDF]

"Paris, 18 de novembro de 1910

Meu querido Sr. Chiaffarelli

Com muito prazer tenho recebido seus cartões, muito agradeço; fiquei contente em saber que Liddy fez muitos progressos no canto, imagino como deve estar cantando bem!

Envio-lhe os programas dos concertos que ouvi ultimamente; o do dia 15 foi uma delícia! Nunca ouvi tocar tão bem violino, que som, que força e que entusiasmo! Fica-se com medo que Kreisler caia de tanto entusiasmo! Quando toca pianíssimo é tão surdo que parece tocar em outra sala e quando faz os crescendos chega com tanta força e tanto entusiasmo que o público começa a rir e querer gritar;  foi uma algazarra quando acabou de tocar as Variações de Tartini; a sala Gaveau estava cheia, até no palco tinha gente de pé; como Bauer tocou bem, só que faz muitas caretas quando toca, mas que som ele tira do piano não?

Um desses últimos domingos estive no Concert-Colonne ouvi Ouverture pour un jour de Fête (Op. 124) de Beethoven e a Symphonie Héroïque, n.º 3, que beleza!... Que orquestra magnífica! Tocou uma grande pianista Mlle. Blanche Selva o Concerto Brandebourgeois de Bach para piano, flauta, violino e orquestra, gostei muito!

Os exercícios que estudo são: Exercícios práticos de Philipp. Czerny L´école du Virtuose op. 365; exercícios de “tenues” de Philipp, e Pischna arranjo de Philipp. Mazurcas de Chopin: Op.17 nº 4, - Op.24 nº 4, - Op.50 nº 1, - e nº 2, - Op.56 nº 1, - Op.59 nº 3, - Op.63 nº 3, e Op.67 n.º 4, como são bonitinhas não?

Romances de Mendelssohn: Op.67 nº 1, Op.62 nº 6, Op.67 nº 4, Op.38 nº 5 e também a Sonata em mi Op.6 do mesmo autor.      

Hoje caiu neve pela primeira vez, tem chovido muito ultimamente e o Sena subiu bem mas agora parece estar melhor; Deus permita que não haja inundação como em janeiro.

Agora não estou mais na R. Mozart, D. Alda tomou um appartement na R. Vidal 43, mesmo em Passy a casa é muito boazinha e bonitinha, peço ter a bondade de enviar suas cartas para lá.

Envio muitas saudades à D. Guilhermina, D. Antonietta Rudge e todas moças da aula.

D, Alda se lhe recomenda.

Queira aceitar muitas saudades e um afetuoso abraço da sincera e grata Guiomar."

 

Correspondência 8 [PDF]

"Paris, 6 de janeiro de 1911

Meu querido Sr. Chiaffarelli

Pela primeira vez esse ano venho fazer-lhe uma visita por meio desta cartinha portadora de inúmeras saudades.

Tenho o prazer de enviar-lhe também os programas dos dois últimos concertos que ouvi ultimamente.

O concerto do Conservatório gostei imensamente; a orquestra é magnífica e os coros uma perfeição, achei tudo uma beleza; o Crucifixo de Lotti é lindo e o Songe d'une nuit d'été de Mendelssohn; e o Scherzo, que ritmo!... Gostei também do concerto de Schelling, mas não sei, ... pensei gostar mais!

A Senhora Paula Frisch canta admiravelmente bem, que expressão, que graça!... Agradeço-lhe muito o cartão de “ Boas Festas” – O Sr. Phillip é muito bom para mim, um dia desses deu-me uma bonita fotografia sua, fiquei muito contente!

Agora o Conservatório mudou de casa, fica muito mais perto, 14 R. de Madrid.

Envio-lhe o programa do meu concerto; no dia 16 o Sr. Philipp vai dar uma aula na Sala Erard, logo lhe enviarei o programa; tocarei duas Romances de Mendelssohn e a 1ª. Balada de Chopin.

Envio muitas saudades à D. Guilhermina e Liddy e ao Senhor um saudoso abraço de quem muito o estima Guiomar."

 

Correspondência 9 [PDF]

"Paris, 1 de fevereiro 1911

Muito querido professor!

D. Alda recebeu uma sua cartinha de Poços de Caldas, então já sei que o Senhor passou por S. João da Boa Vista, onde nasci.  - Não é bonitinha a cidade de Poços? Só que é uma viagem bem aborrecida, uma poeira não? Tive tantas saudades do Brasil quando li a sua carta!

Agradeço-lhe muito o interesse que o Senhor toma para que eu tome lições com o Professor Dalcroze; até já estou com vontade de ir para Dresden.

Seria muito bom se minha irmã Analia pudesse vir, mas creio que é de todo impossível; ela não pode ter uma longa licença e depois faria muita falta à mamãe se viesse; ela ajuda a educação de meus irmãos menores. Como desejo aprender o alemão (o que já comecei um pouco). D. Alda arranjou outra professora que servirá para me acompanhar aos concertos, lições etc. D. Alda tem boas informações dessa moça que é de Hamburgo.

Saí-me bem no concerto do dia 25, mas só que a sala Beethoven é péssima – Vou-lhe contar o que aconteceu: ensaiei bem a Sonata de Beethoven com Mr. Jullien, no dia do concerto Mr. Philipp é quem veio virar as páginas para mim, quando acabei e chego lá dentro, Mr. Philipp diz-me:

Guiomar, vous avez faire une faute terrible dans la Sonate! [Guiomar, você cometeu um erro terrível na Sonata!] E eu muito espantada, ... - Mais comment ça se fait! [Mas como assim!] - Vouz avez transposé tout en clef de sol! ... [Você transpôs tudo para clave de sol!] Meu coração bateu como nunca! Mas depois fiquei mais calma, não era tanto assim; umas escalas do fim da 3ª. parte que são em clave de fá, eu toquei na clave de sol!!  O concerto do dia 11 é muito importante.

Ouvi a semana passada P. Goldschmidt na Sonata em si b menor de Chopin e na Fantasia em dó de Schumann foi admirável.

Gosto tanto de ouvi-lo tocar; o Senhor conhece Mme. Marie Carreres? Deu um concerto essa semana, mas não pude ir, é uma pianista.

Adeus Sr. Chiaffarelli! Queira aceitar com D. Guilhermina muitas e muitas saudades e um afetuoso abraço da sempre grata,

Guiomar

Muitas lembranças ao Sr. Olindo. Liddy não me escreveu mais!"

 

Correspondência 10 [PDF]

"Paris, 19 de julho 1911

Muito querido professor,

Hoje venho contar-lhe como se passou o dia 5, dia do Concurso. Estudei bem a 2ª. Balada durante um mês, oito dias antes do Concurso fui tocá-la ao Bauer a seu convite, foi muito amável e fez algumas observações, como analisa tudo!...

O Concurso começou às 9h da manhã mas como era o número 15, só cheguei a L´Odéon às 10h14, daí alguns minutos chegou a minha vez. Que boa sala aquela de L´Odéon. Estava repleta! A acústica é excelente e quando se toca parece-se estar em casa!... Quando entrei, na sala ouvia-se um barulho surdo, como uma caixa de marimbondos e era assim a cada intervalo; parece que toquei bem naquele dia, eu mesma estava contente comigo, só sentindo não ter a sua pessoa lá! – Vou lhe contar um segredo bem baixinho... Antes de tocar o último acorde da Balada, já aplaudiam e gritavam, que barulhão!... Às 4h mais ou menos passaram as 35, depois de um intervalo, começou o Concurso da leitura, ficamos presas num quarto e todas muito curiosas para saber qual era o autor e de que jeito era a música... Pensei que fosse um pedaço muito mais difícil -, estava tão precipitada para começar, que nem pensei em esperar o Diretor bater o compasso, (pois é assim que precisa-se fazer) porque assim teria tempo de ler bem antes, mas assim mesmo saí-me bem; antes de ler, o público já aplaudia, por causa da Balada que tinha agradado pela manhã. – Acabou um pouco antes de 6h. – Às 7 foi a chamada dos prêmios, todas estavam ansiosas para saber o resultado; depois de um grande silêncio, Fauré grita lá de sua tribuna:

“Mlles. Meerovitch, Novaes, Coffer etc… chaqu´une de vous a son 1rer prix” [cada uma de vocês tem seu primeiro prêmio]; chega-se ao palco, o público faz uma ovação, agradece-se e volta-se rindo e assim por diante.

Vou ganhar um piano de cauda Erard, pois esta casa tem sido muito amável para comigo; depois que dei meu concerto não quiseram mais cobrar o aluguel do piano de meia cauda que tenho para estudar e continuarão a me emprestar e quando for para o Brasil me darão um grande para concerto, que bom o senhor não acha? Tenho direito também a 200 fr. e uma medalha. – Agradeço muito muito muito as felicitações das moças da aula e [trecho faltante] bom para mim! Recebi também outros telegramas daqui, muitas flores, felicitações de pessoas conhecidas e outras desconhecidas, e também da Princesa D. Isabel; enfim fiquei muito satisfeita e muito grata aos meus professores que têm sido tão bons para mim, começando pelo senhor! O Sr. Philipp deu-me uma linda gravura em um bonito quadro, é o retrato de Chopin tocando piano, enquanto criança; o senhor deve conhecer, é uma gravura célebre e parece que já vi em S. Paulo; foi como lembrança da 2ª. Balada. – Peço-lhe muitas desculpas por não ter-lhe escrito essas últimas semanas, tenho começado sempre a lhe escrever, mas nunca posso acabar. – o Sr. Oswald já estava aqui com o Dr. E. Egas, vou dar um recital a Turim em princípios de agosto, para a semana lhe enviarei o programa, tem muitas músicas do meu recital de janeiro. – Aqui tem feito um calor horrível, parece o Rio de Janeiro só que é ainda mais abafado e não chove há muito tempo! – Esteve aqui há algumas semanas um violinista brasileiro de nome Serafino Cialone, tocou aqui comigo, parece que tem muito talento, não é?

O Miecio [Horszowski] esteve no Concurso, não ficou muito satisfeito, pois esperava que eu fosse a primeira e assim muitas outras pessoas que [trecho faltante] conheciam, mas por dois votos e justamente inimigos do Sr. Philipp que não me aprovaram em primeiro lugar, mas toda gente gritava o meu nome em primeiro na hora da chamada.

Mme. Ephruss, de quem lhe falei há tempos, deu-me uma rica bolsa de viagem com tudo que é necessário dentro, de prata dourada. Há alguns meses toquei de novo à sua casa a seu convite e deu me 200 fr. Lá tem sempre grandes artistas, ela é filha de Aphonso de Rothschild, gosta muito de música!

Como está D. Guilhermina, Liddy e Sr. Cantù? Que pena o Sr. não ir para Turim!!!

Termino enviando-lhe um saudoso abraço, agradecimentos e desculpas por ter passado muito tempo sem escrever.

Abraço D. Guilhermina e Liddy a quem desejo todas as felicidades!

Da afetuosa

Guiomar"