naturalidade
Porto Velho (RO)
fontes
CAMPOS, Moema Craveiro. Falando de Piano com Linda Bustani e Luiz Eça. 1º edição, Rio de Janeiro: Editora Multifoco, 2016. No prelo.

Informações cedidas pela própria pianista.

Sites diversos na internet e matérias em jornais.
Atualizado em 14.09.2017
VERBETE

Linda Bustani

N. 27 de June de 1951
Por Willian Lizardo e Alexandre Dias

Linda Maria de Figueiredo Bustani nasceu em Porto Velho (RO) em 27 de junho de 1951. Filha de José Maurício Bustani e Guajarina Bustani, tem como irmão o diplomata e também pianista José Maurício Bustani. Em 1956, a família deixa Rondônia para buscar uma melhor educação para os filhos em Niterói, e Linda inicia seus estudos de piano aos cinco anos com Wanda Oliveira, em Niterói. 

Em 1959, aos oito anos, foi a única criança aceita na classe de Arnaldo Estrella, no Rio de Janeiro, vindo a ter aulas também com seu assistente, o pianista Antônio Guedes Barbosa. Nesta época, estudou teoria com Esther Schiar, e permaneceu aluna de Estrella até os 18 anos, quando foi estudar em Moscou.

Em 1961, aos 10 anos, venceu o Concurso Lorenzo Fernandez, e neste ano apresentou-se pela primeira vez como solista à frente de uma orquestra, executando o Concerto em Ré Maior de Haydn, sob regência de Nilo Hack, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro (TMRJ). Foi também vencedora de duas edições do Concurso Jovens Solistas da Orquestra Sinfônica Brasileira, em 1964 e 1965, resultando em concertos no TMRJ.

Em 1966, aos 15 anos, obteve o primeiro lugar no V Concurso Nacional de Piano da Bahia, e, no mesmo ano, foi premiada no Concurso Internacional Vianna da Motta, em Lisboa,

Em 1969, aos 18 anos, participou de um concerto no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, sob regência de Henrique Morelenbaum, interpretando o Concerto para 4 pianos de Bach, juntamente com Arthur Moreira Lima, e seus professores Arnaldo Estrella e Antonio Guedes Barbosa. No mesmo ano, chamou a atenção do pianista e pedagogo Yakov Zak, e recebeu um convite para trabalhar sob sua orientação no Conservatório Tchaikovsky, em Moscou.

Na Rússia, foi orientada por Yakov Zak durante 5 anos, e se tornou a primeira aluna de Eliso Virsaladze, então assistente de Zak. Em 1972, foi laureada no Concurso Internacional da Bratislava, cuja participação ao vivo foi lançada em LP no ano seguinte. Sua carreira internacional foi lançada após sua participação no Concurso Internacional de Leeds, em 1972, na Inglaterra. A partir de então, seguiram-se concertos e recitais em salas de prestígio como o Concertgebouw em Amsterdã, Wigmore Hall em Londres, Theatro Colón em Buenos Aires, e em países como Portugal, Holanda, Bélgica, República Tcheca (Tchecoslováquia), Rússia, Ucrânia, Geórgia, Escócia, Inglaterra, Hungria, Japão, Líbano, Estados Unidos e América Latina.

Atuou como solista de orquestras como a New Philharmonia, Bournemouth Symphony, City of Birmingham Symphony, Royal Liverpool Philharmonic, BBC Welsh, BBC Scottish, Hallé, Sinfônica Bratislava, Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB), Orquestra Petrobras Sinfônica e Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP), e trabalhou ao lado de maestros como Simon Rattle, Charles Groves, William Tausky, Anatole Fistoulari, Louis Frémaux, Okko Kamu, Günther Herbig, John Neschling, Isaac Karabtchevsky, Eleazar de Carvalho, Roberto Duarte, Henrique Morelenbaum, Alceo Bocchino, Roberto Tibiriçá, Ligia Amadio, entre outros.

Em 1999, lançou seu primeiro CD solo pela Connoisseur Society (Nova York), com obras de Schumann (Kreisleriana) e Chopin (Noturnos Op.27 No.2 e Op.48 No.1, Fantasia Op.49 e Scherzo No.3 Op.39), elogiado pela crítica especializada.

Em 2001, participou do CD “Meus caros pianistas”, com obras de Francis Hime, interpretando Cartão Postal e Minha.

Em 2003, conquistou o Prêmio Carlos Gomes na categoria Melhor Pianista, e, em 2004, apresentou-se no México, em Marrocos e no Reino Unido. De 2005 a 2008, além de realizar concertos no Brasil, voltou a se apresentar em Buenos Aires, Inglaterra (Wigmore Hall) e Líbano

Em 2009, gravou o Choros No.8 de Heitor Villa-Lobos para dois pianos e orquestra juntamente com Ilan Rechtman, e a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP), sob regência de John Neschling.

Em 2015, formou o Quarteto Lindarte juntamente com Michel Bessler (violino), Bernardo Fantini (viola) e David Chew (violoncelo). O quarteto realizou sua estreia na Cidade das Artes, Rio de Janeiro.

Em 2016, completou 60 anos de carreira, apresentando em primeira audição no Brasil o Concerto No.4 de Prokofiev, na Sala Cecilia Meireles. Além de solista, recitalista e camerista, desenvolve intensa atividade como pedagoga, transmitindo os ensinamentos da escola pianística russa. Seu repertório é composto de mais de 40 concertos para piano e orquestra, como por exemplo os concertos de Mozart (No.25), Beethoven (No.4, No.5 e Fantasia Coral), Haydn (Ré maior), Mendelssohn (No.1), Brahms (No.1), Schumann, Tchaikovsky, Prokofieff (No.1 e No.3), Ravel, Roussel, Rachmaninoff (Rapsódia sobre um tema de Paganini), e Villa-Lobos (Bachianas Brasileiras No.3).